Apocalipse e os Sinais

02/05/2012 16:37

APOCALIPSE

 

Está muito próximo a volta de Cristo!

Que ninguém seja pego de surpresa, a noiva espera ansiosamente o seu Noivo.

As coisas reveladas nos pertencem, a nós e as nossos filhos, para sempre. O Senhor declara que não fará coisa alguma sem primeiro revelar o seu segredo aos seus servos, (Dt 29:29).

Não passará esta geração sem que todas essas coisas aconteçam (Mc 13:30).

Haverá sinais no sol, na lua e nas estrelas, sobre a terra angustia entre as nações (Lc 21:25).

O principio das dores sobre o planeta terra e a humanidade.

O terremoto que abalou o mundo em 1755 que se registrou. Conhecido como o terremoto de Lisboa, estende-se pela Europa, África e América no sentido Groenlândia, nas Antilhas, Ilha da Madeira, Noruega, Suíça, Grã  Bretanha e Irlanda, numa extensão de mais de dez milhões de quilómetros quadrados, o choque foi tão violento onde destruiu cidades inteiras, montanhas foram sacudidas, no período de seis minutos, pereceram sessenta mil pessoas. O mar a principio se recolheu deixando seca a barra e voltou doze metros acima do nível comum.

O sol perdeu seu brilho (Mc 13:24). Em 19 de maio de 1780, cumpriu-se a profecia, testemunha descreve como pesada nuvem negra se espalhou por todo céu, e ficou tão escuro sendo ainda pela manhã, os animais ficaram descontrolados, as pessoas se reunirão em igrejas, e em casas pensando que era o fim, este dia ganhou o nome de, O dia Escuro. Desde o tempo de Moises nenhum período de trevas de igual modo, extensão e duração fora registrada.

A lua como sangue (Joel 2:31). Depois da meia noite as trevas começaram a se dissipar, e a lua ao tornar visível, tinha aparência de sangue.

As estrelas cairão (Mt 24:29; Ap 6:13). Em 13 de novembro de 1833, a mais extensa e maravilhosa exibição de estrelas cadentes que já se tem registrado de leste, oeste, norte e sul, tudo era o mesmo. Desde as duas horas da manhã até ao meio dia, durante o dia via-se os brilhos no céu; artigo relacionado com o fenômeno no Jornal of Conmerce, de Nova York, em 14 de novembro de 1833.

As duas torres gêmeas (Woorld Trade Center), em 11 de setembro de 2001, onde havia pessoas de todo mundo, na cidade do polo comercial mundial, em Nova York, o que vimos foi algo catastrófico que surpreendeu de forma assustadora a humanidade, que mexeu com o percurso de todo mundo, e que também decretou a guerra contra o Iraque e todo Oriente Médio, milhares de pessoas morreram, e continuam morrendo como decorrência deste acontecimento. (Dn 8:5-7; Lc 21:25-26).

Ondas Gigantes eTsunami (Lc 21:25) maremoto que atingiu o sul da Ásia (Malásia, Indonésia, Tailândia, Mianmar, Índia, Sri Lanka, Maldivas e Somália), em 26 de dezembro de 2004, acontecimento onde os mortos são incontveis, aproximadamente 400 mil, mas estimas-se que este numero seja maior.

Abertura na Camada de Ozônio (efeito estufa), o sol achega-se mais a terra proporcionando dias mais quentes, trazendo sofrimento á humanidade, ao plantio, queimadas imensas, prejudicando e poluindo o nosso oxigênio com doenças de pele e problemas respiratórios. (Ap 16:8-9).

Doenças inúmeras, cada ano aparece uma doença nova e pior e incurável.

Água escassa (Apo. 16:12; Sl.75:8). Hoje já é visível está realidade.

Inundações, enchentes (Dn.9:26). São Paulo, Rio de Janeiro e em outros lugares como tem sido apresentado pela mídia e realidade vivida bem de perto para muitos.

Se preparem os sinais estão acontecendo, Cristo está voltando!

Para dar aos seus filhos descanso e enxugar dos olhos todas as lágrimas.

Veja a lista dos maiores desastres naturais da Terra

04:41 PM, 28/4/2011 .. 0 comentários .. Link


Atualmente, é apenas um pacato lago, cheio de atrativos turísticos para quem vai pescar ou se deslumbrar com a paisagem. Mas há cerca de 1.800 anos ele foi o palco da maior erupção do planeta nos últimos cinco milênios. Numa região vulcânica no norte da Nova Zelândia, as águas do Lago Taúpo cobrem atualmente uma série de antigas crateras.

10. Explosão vulcânica do Taupo

Segundo estimativas dos cientistas a explosão vulcânica do Taupo em 180 d.C. produziu cem quilômetros cúbicos de material entre lava e cinzas, atingindo o índice 7 na escala VEI (que vai de 0 a 8), o que lhe rendeu a classificação de erupção supercolossal.
 

 9. Erupção do Tambora

Em 1815, cerca de 92 mil pessoas morreram por causa da erupção do vulcão Tambora, na Indonésia. Atualmente adormecido, o monte Tambora tem 2.815 metros de altura perdeu boa parte do seu topo com a violência da erupção.

 
Antes dela, o tamanho do vulcão chegava a 4.300 metros. Cerca de dez mil pessoas morreram imediatamente por conta das lavas, deslizamentos e tsunamis. Mais de 80 mil pessoas morreram em função de doenças e da fome causadas pela destruição que a erupção provocou. Cerca de 35 mil pessoas perderam suas casas.
 


8. Terremoto em Dangham

Damghan fica no norte do Irã, lá está a que deve ser a mais antiga mesquita do país, construída no século 9. Damghan era a capital da província de Qumis no século 18 quando foi atacada e destruída pelos afegãos.
Mais de um século depois, em 22 de dezembro de 1856, a região voltou a ser destruída, desta vez por um intenso terremoto que matou cerca de 200 mil pessoas.
 

 7. Terremoto no Haiti

 

Nesse ano de 2010 no dia 12 de janeiro, o país mais pobre do Hemisfério Ocidental sofreu um terremoto de magnitude 7 .

Como o epicentro do abalo sísmico foi próximo à capital e mais populosa cidade do país, o nível de destruição foi devastador.
 

Estima-se que um milhão de pessoas acabaram desabrigadas, 300 mil ficaram feridas e 200 mil pessoas morreram

 

6. Terremoto de Aleppo

 

No ano 1138, a região de Aleppo na Síria, uma das principais rotas comerciais entre o mundo árabe e os países mediterrâneos, foi palco de uma das maiores catástrofes naturais da história.
Um violento terremoto em 9 de agosto deixou como saldo cerca de 230 mil mortos.

 

5. Terremoto em Tangshan

 
 

Na noite de 28 de julho de 1976, um terremoto de magnitude 8, quase varreu do mapa a cidade de Tangshan, localizada a cerca de 100 km de Pequim, na China. Com um importante parque industrial e muitas minas de carvão a cidade informou oficialmente que 242 mil pessoas morreram com a catástrofe. No entanto, estima-se que essas mortes superaram a 650 mil habitantes. Mais de 700 mil pessoas ficaram feridas e a extensão dos danos materiais chegou até Pequim.
 


4. Tsunami no Oceano Índico

 
 
Em 2004, ondas de 30 metros de altura se formaram no Oceano Índico em função de um terremoto submarino que aconteceu na costa da ilha indonesiana de Sumatra.
 


Durante sete horas após o tremor ondas gigantescas se formaram e atingiram a costa de países desde a costa leste da África até o sul e sudeste da Ásia.
O tsunami, como é chamado esse fenômeno provocou a morte de cerca de 430 mil pessoas.

 

3. Ciclone de Bhola

 
 
Enorme tempestade quando se forma como um redemoinho sobre as águas do oceano, traz com ela ventos e chuvas muito fortes.

Chama-se furacão, quando forma-se sobre o Oceano Atlântico.
Tufão se nasce sobre o Pacífico
Ciclone quando surge no Oceano Índico.
Foi uma dessas que em 12 de novembro de 1970 atingiu Bangladesh e a Índia com ventos superiores a 200 km/h. Estima-se que pelo menos 300 mil pessoas tenham morrido por conta desse ciclone.

 

2. Terremoto de Shaanxi

 
A província de Shaanxi (ou Shensi), na China, em 23 de janeiro de 1556 sofreu um terremoto devastador que foi o mais mortífero de todos até agora. Cerca de 830 mil pessoas morreram nessa tragédia.
O abalo sísmico foi de magnitude 8 e causou a morte de 60% da população local. Shaanxi tem três regiões naturais distintas: uma área montanhosa ao sul, um planalto ao norte e ao centro o vale do rio Wei. É justamente essa região do vale, onde se concentra a população, a mais sujeita a terremotos.

 

1. Enchentes dos rios Hwang Ho e Yang Tsé

 
 
pesar do poder devastador dos terremotos, o mais mortífero dos desastres naturais ocorridos na história da civilização foram as enchentes que atingiram as margens dos rios chineses Yang Tsé, Hwang Ho e Huai. 
 
 Em 1887, a quantidade de chuvas fez o Huang He transbordar ao longo de 130 quilômetros e causou a morte de cerca de 900 mil pessoas. Algumas décadas depois, em 1931, novas inundações ao longo do Hwang Ho, Yang Tsé e Huai causaram entre 2,5 milhões e 4 milhões de mortes.
 
Passam dos 14 mil os mortos no Japão após desastres naturais
O último boletim informa que 14.013 pessoas morreram e outras 13.804 estão desaparecidas após os desastres naturais que atingiram o país , morreram afogadas pela onda gigante, que invadiu 40 km terra adentro. De acordo com os últimos dados, morreram em Miyagi 8.505 pessoas, enquanto 7.934 outras seguem desaparecidas. Em Iwate o número de mortos chegou a 4.033, e o o número de desaparecidos está em 3.822 desaparecidos, enquanto em Fukushima o balanço é de 1.412 mortos e 2.044 desaparecidos.
 

http://blog.clickgratis.com.br